3 dicas para alavancar seu negócio no Youtube

O melhor lugar para fazer negócio hoje em dia é na internet. Isso porque a internet está presente na vida de muitas pessoas, sendo para acessar redes sociais, pagar contas, ter acesso a informação, comprar de forma mais rápida, ou para entretenimento. Com o grande número de pessoas que tem acesso a conteúdo de vídeo, muitas pessoas partem para o que hoje já pode ser considerado uma profissão, ou modelo de negócio, que é ter um canal no Youtube (ser um Youtuber). Além da visão rentável que um canal pode proporcionar, quem escolhe ter seu canal no Youtube e viver disso, é porque primeiramente gosta muito de expor suas ideias e sonha em ter seu trabalho reconhecido.

Além dessa razão que leva as pessoas a terem um canal no Youtube, outra razão agora para empreendedores, é que um canal onde você pode expor seus produtos ou serviços oferecidos por sua empresa, de forma gratuita e podendo ainda ganhar dinheiro com os vídeos também, sem dúvida é algo muito rentável. Pensando nisso, se você tem esse sonho, quer ganhar muito dinheiro com o Youtube e proporcionar maiores ganhos para a sua empresa, não deixe de conferir a seguir 3 dicas para alavancar seu negócio com um canal no Youtube e tornar-se um Youtuber.

  1. Forneça dicas para seu público-alvo:

As pessoas adoram dicas, truques, tudo que facilite a vida delas, por isso, se você trabalha com determinado assunto e sabe que existem maneiras não convencionais, porém, muito mais fáceis de fazer algo, mostre para o seu público. Por exemplo, se você tem um salão de cabeleireiro, pode dar dicas de penteados para determinado compromisso, ou se você tem um restaurante, poderá fornecer dicas de como fazer um prato simples e fácil, que o seu estabelecimento fornece.

  1. Entreviste pessoas:

Procure por pessoas que tem outras dicas para dar, e não se restrinja apenas as suas. Ainda mais se essas pessoas tiverem bastante credibilidade sobre o assunto e forem conhecidas dentro do tema abordado. Um vídeo na internet passa muita autoridade para a pessoa que publica, ou empresa, por essa razão as pessoas buscam credibilidade e pessoas para se espelharem.

  1. Publique depoimentos:

Mais que falar do seu produto ou serviço, é deixar que outras pessoas falem. O seu público irá adorar saber a opinião de outras pessoas referente ao que sua empresa fornece, isso traz credibilidade para a empresa. O público sempre procura por algo em que podem confiar, e quando muitas pessoas falam bem de um produto ou serviço, isso influencia na decisão dessa pessoa comprar ou contratar seu serviço.

 

Veja também 3 dicas para ganhar dinheiro com o Youtube.

 

Vale a pena regularizar seu empreendimentos

Muitos empreendedores trabalham durante anos a fio, por conta, sem sentir necessidade de formalizar seu negócio. Acontece que nos dias de hoje, existem diversas vantagens em normatizar os processos de sua empresa. Essa formalização não se faz necessária apenas por razões burocráticas, mas para, também, assegurar os direitos legais.

Sabemos que, muitas vezes, pensamos que o que conta para abrir uma empresa é apenas a soma de uma boa ideia com dinheiro suficiente para realizá-la, porém, toda empresa que se preza deve ter um CNPJ. Se você tem perfil de portador de uma microempresa ou de microempreendedor individual (MEI), precisa atentar-se para o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, a fim de garantir segurança jurídica para você que está fazendo o investimento.

Um dos grandes desafios para negócios não formalizados é a comprovação de renda. Empreendedores informais ou até mesmo autônomos enfrentam dificuldades na comprovação de renda, na hora de garantir que tem poder capital suficiente para realizar alguma ação que deseja. Esse procedimento, geralmente é requerido na hora de solicitar cartões de créditos, fazer contratos imobiliários, financiamentos e empréstimos. Oficializar seu negócio, não apenas facilitará esses trâmites, como também abrirá portas, fazendo com que você, empreendedor, tenha acesso a linhas de créditos oferecidas a pequenas empresas, os chamados financiamentos, tais como o BNDES, Caixa e Banco do Brasil, por exemplo. Outro item que facilita o desenvolvimento de sua empresa, são as máquinas de cartão, aquelas que possibilitam que o cliente efetue o pagamento via crédito ou débito, facilitando e deixando as transações de pagamentos mais práticas. Só é possível obter tais equipamentos, se o empreendimento possuir um CNPJ.

Outro item de segurança para o empreendedor, são os direitos previdenciários. Não só o responsável pela empresa, mas também seus familiares podem ser inclusos em coberturas como auxílios (doença, reclusão, etc), salário maternidade (após carência), pensões e aposentadoria por idade. Além dos direitos previdenciários, é possível usufruir de outros serviços, como por exemplo, planos de saúde (que adquiridos em caráter de pessoa física são monetariamente expansivos). É importante estar coberto pela lei, afinal, não sabemos quando pode nos acontecer algum sinistro. Formalizar o seu negócio te ajuda na missão de estar melhor preparado para futuras adversidades, de forma a passar por elas sem grandes complicações.

Muitos vêem muitas vantagens em negociações com poder público. Licitações, por exemplo, podem ser muito proveitosas para uma empresa, entretanto o CNPJ é obrigatório para que seja possível realizar esse tipo de contrato. Existe também o que chamamos de B2B (business to business), que trata-se de empresas que seguem a política de fazer negociações somente com outras empresas. Entende-se como “empresa” apenas os negócios formalizados. Sendo assim, quando você deixa de registrar seu empreendimento, perde também a oportunidade de participar dessas transações.

O Sebrae oferece auxílio aos empreendedores que desejam fazer a regularização de seu negócio, seja de micro ou pequeno porte. Em seu site oficial, é possível acessar o passo a passo da formalização de empreendimentos, além de outras informações que podem ser do interesse de quem deseja oficializar seu negócio.

Vendas do Carrefour despencam no quarto trimestre de 2016, reporta Flavio Maluf

Segundo maior empreendimento varejista do mercado mundial, o Carrefour afirmou que o crescimento do volume de vendas sofreu uma severa desaceleração no quarto trimestre de 2016. De acordo com a avaliação dos analistas da empresa, reporta pelo empresário Flavio Maluf, a desaceleração se deu em virtude do fraco desempenho no mercado francês, onde os hipermercados tiveram sérias dificuldades em um fraco cenário econômico nacional.

Depois da França, o mercado mais lucrativo para a franquia é o Brasil. Conforme lembrado pelo empresário Flavio Maluf, as vendas apresentaram um comportamento resiliente no mercado brasileiro, apesar da baixa econômica que também atingiu o país. Mesmo se mantendo na média, as vendas brasileiras da rede de hipermercados poderiam ter sido melhores: no mesmo período, alguns mercados europeus apresentaram um sólido crescimento, como a Espanha.

No mercado chinês, a desaceleração no ritmo de vendas foi de 5,4% no período. O Carrefour está em processo de reestruturação da sua rede de operações no país, que já havia apresentado uma taxa de desaceleração de 7,8 % no trimestre anterior ao da pesquisa.

Flavio Maluf também destaca as palavras do diretor financeiro da companhia, Pierre Jean Sivignon. Segundo o diretor, a receita líquida das operações do ano de 2016 seria bem próxima da mediana das expectativas, cerca de 2,39 bilhões de euros. O resultado apresenta uma queda de 2,2% em relação ao montante obtido durante o ano de 2015, que foi de 2,445 bilhões de euros. Segundo o diretor financeiro do Carrefour, a empresa está planejando o lançamento de grandes ofertas públicas de início para sua unidade comercial Carmila e seu negócio no mercado brasileiro para este ano.

O resultado do quarto trimestre, como indica o empresário  Flavio Maluf no estudo apresentado pela franquia, foi de 23,366 bilhões de euros. O valor obtido está acima da média das expectativas apresentada pelos analistas para o período. Segundo as estimativas da Thomson Reuters, o montante esperado para o quarto trimestre de 2016 era de 23,22 bilhões de euros.

Outro resultado da pesquisa aponta que as receitas cresceram 2,9% ano após ano. A taxa obtida desconsidera os efeitos da moeda, do calendário e do combustível no período. A taxa implica uma desaceleração, frente à alta, de 3,2% no terceiro trimestre de 2016.

Conforme explica o empresário Flavio Maluf, 43% das vendas totais do Carrefour são obtidas em seu mercado de origem, na França. Segundo os dados da pesquisa, a receita anual da franquia teve um crescimento de 0,7 por cento durante o quarto trimestre. Foi uma queda leve em relação ao resultado obtido no terceiro trimestre, 1,2 por cento de crescimento. Segundo os especialistas, a taxa diminuiu devido à forte concorrência dos preços entre os varejistas franceses no período.

De acordo com os registros da pesquisa, as vendas de loja dos supermercados da França sofreram uma queda média de 1,2% no quarto trimestre, um pouco maior que a queda sofrida no terceiro trimestre, de apenas 1%. Apesar da retração, as lojas de conveniência apresentaram um crescimento robusto no quarto trimestre de 2016.

 

 

 

8 características de um empreendedor

Em tempos de crise econômica e que o salário não dá para arcar com todas as despesas, muito se tem falado e investido em empreendedorismo. Segundo Jefrey Timmons “O Empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial foi para o século 20.”

Em tese um empreendedor é alguém que inicia algo novo, a partir de uma ideia preconcebida. Se você está em busca de iniciar um novo empreendimento atente-se as dicas abaixo:

 

Características de um Empreendedor

 

  1. Assumir riscos: um empreendedor deve ser alguém que não tem medo do novo, que arrisca sem saber ao certo o resultado de seu empreendimento.
  2. Identificar oportunidades: deve estar atento e ser sensível para identificar as oportunidades de mercado. Para tanto deve ser curiosos e atento a tudo o que ocorre ao seu redor e no mundo.
  3. Conhecimento, organização e independência: na maioria das vezes, o empreendedor inicia algo sobre o qual possui conhecimento e aptidão, isso porque a probabilidade do empreendimento dar certo é maior do que se ele iniciar sobre o qual não possui nenhum conhecimento.
  4. Possuir senso de organização, ou seja, ter capacidade de utilizar recursos humanos, materiais, financeiros e tecnológicos de forma racional:um empreendedor desorganizado pode comprometer o funcionamento de seu negócio, sendo assim esta é uma qualidade imprescindível.
  5. Determinar seus próprios passos: é interessante que o empreendedor seja dono de seu próprio negócio, isso evitará de possíveis obstáculos aparecem pelo caminho, uma vez que ele será livre para tomar suas decisões sem precisar do consentimento de ninguém.
  6. Tomar decisões: tomar decisões assertivas é o ponto chave para garantir o sucesso do empreendimento, e mesmo que a decisão não seja 100% correta, o empreendedor deve pelo menos ter convicção de suas ideias, indecisão não pode fazer parte de suas atitudes.
  7. Liderança, dinamismo e otimismo: Um empreendedor de sucesso jamais se acomoda, sempre está antenado sobre as novidades e mudanças do mercado. Deve possuir também o espírito de liderança e através dele manter sua equipe sempre motivada e ser otimista por natureza, ou seja, não desistir mediante as dificuldades que aparecerem pelo caminho.
  8. Planejamento e plano de negócios: Pelas estatísticas, sabe-se que a empresa que foi planejada tem maior probabilidade de ser bem sucedida, ao contrário daquela que foi criada por simples impulso, como muitos dos brasileiros o fazem. Então, se tem vontade de abrir o seu próprio negócio comece com o lápis e papel na mão e planeje, planeje e planeje.

 

Oportunidades de empreender com comida orgânica

Dentre os setores do segmento alimentício, a venda de comida orgânica é a que mais cresce no Brasil. Devido ao constante crescimento de interesse pela população sobre produtos orgânicos, muitas oportunidades de negócio aparecem para investidores que desejam trabalhar com produtos livre dos terríveis agrotóxicos, adubos químicos e dos alimentos geneticamente modificados.

 

Mercado orgânico está em crescimento

 

No ano de 2014, o mercado de produtos orgânicos superou expectativas apresentando um crescimento de 25% em relação ao ano anterior. Segundo o IPD – Instituto de Promoção do Desenvolvimento, o setor movimentou em torno de 2,5 bilhões de reais no Brasil e segue com alta expectativa que o mercado continue a crescer, sendo esperado um volume de 10 bilhões de reais até o ano de 2020.

Depois da regulamentação do mercado através da Lei 10.831 realizado pelo Ministério da Agricultura em 2011, a produção de orgânicos se intensificou e ganhou destaque no setor alimentício da economia brasileira. Com a criação do selo que confere a veracidade dos produtos orgânicos, a procura da população aumentou referente a confiança empregada aos órgãos que fiscalizam o setor. Através da regulamentação o mercado teve maior expansão e investimento, alcançando percentual de dezenas por ano.

 

Quem procura por comida orgânica

 

A disseminação da informação e procura da população mostrou dados comprovados pelo IBOPE e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que cerca de 68% dos consumidores se dispunham a comprar alimentos que não poluam o meio ambiente e contribuam beneficamente para a saúde, mesmo pagando mais caro por isso.

Em outra pesquisa realizada pelo IPD, dados apontaram que consumidores de alimentos orgânicos se tornam públicos fiéis, além de terem uma frequência maior das demais pessoas em relação a compra. Isso porque o consumo desses alimentos traz diversos benéficos para a saúde e para a natureza.

 

O mercado orgânico oferece variedades e seus consumidores são mais abertos a experimentar diferentes produtos. As lojas contam com variedades de hortifrútis – verduras, legumes e frutas orgânicas. Além disso, a procura também aumentou em relação a outros produtos como carnes orgânicas, cereais, arroz, feijão, massas e até mesmo produtos de higiene pessoal como creme dental.

 

Como investir no mercado de orgânicos

 

Com o mercado em constante expansão, é de se imaginar que grandes empresas tenham se colocado a frente na linha de produção de orgânicos. No entanto é um mercado amplo e cheio de opções para os investidores.

 

Quem deseja investir nesse mercado lucrativo deve estar atento as novidades, pesquisar o setor em que irá atuar e desenvolver um plano de negócio. Existem diversas opções de modelos de negócios para esse mercado, como: lojas especializadas em determinado produto, mercados, cafeterias, restaurantes e até mesmo a produção rural dos orgânicos voltados para a comercialização.

 

Comida orgânica tem mais qualidade e preço mais alto

 

Os preços elevados no que diz respeito a comida orgânica, torna-se empecilho para a popularização dos mesmos. Esses produtos costumam ser 20% mais caros em média comparados aos demais alimentos presentes no mercado. Isso acontece por causa da produção ser mais trabalhada, transporte sem a manipulação de agentes químicos para manter a durabilidade do alimento e pela qualidade que o alimento orgânico oferece.

 

Veja como montar uma loga de produtos orgânicos.

Eduardo Sirotsky Melzer, talento e empreendedorismo

Eduardo Sirotsky Melzer (Porto Alegre, 13 de maio de 1972) é chairman e presidente do Grupo RBS desde 1 de janeiro de 2016, considerado um dos mais influentes empreendedores da atualidade, atribui seu sucesso à gestão pessoal, apaixonado por pessoas, acredita que uma empresa só pode crescer quando a equipe está bem, por isso não poupa esforços na busca de uma valorização e qualidade de vida de seus colaboradores. Para o empresário é papel do gestor manter a equipe em sintonia, um bom líder deve estar atento a novos talentos e cabe a ele conduzir um clima organizacional harmonioso.

Formado em Administração de Empresas Pela Pontifícia Universidade Católica de Rio Grande do Sul (PUCRS) 1998, possui MBA pela Universidade de Harvard, ingressou no Grupo em 2004, em 2012 assumiu a presidência do Conselho de Administração do Grupo sucedendo seu tio Nelson Sirotsky. Eduardo Sirotsky Melzer é neto do fundador do Grupo , Maurício Sirotsky Sobrinho, e também presidente do conselho e fundador da e.Bricks Digital e sócio da e.Bricks Ventures.

A posse de Eduardo Sirotsky Melzer fez parte do processo de sucessão da empresa planejado, em sua gestão o Grupo foi reconhecido entre as três empresas de mídia e internet no País que mais geraram valor para seus públicos em 2014. A companhia também apareceu entre as 10 empresas mais inovadoras do Brasil em pesquisa organizada pela revista Info, da editora Abril.

Em 2015 a empresa passou por um processo de reestruturação organizacional e em sua governança, a partir disso acumulou também a função de presidente do Conselho de Administração, sem dúvida, um ícone no mundo da comunicação e empreendedorismo.

Além da administração da corporação o empresário atua ativamente como membro de organizações que promovem a qualificação e gestão humana como o Conarh (Congresso Nacional de Recursos Humanos), da Associação Brasileira de Recursos Humanos, também participa como palestrante em fóruns nacionais e internacionais, promovidos pela Associação Brasileira de Anunciantes e pelo IEE (Instituto de Estudos Empresariais/RS) e pela Associação Mundial de Jornais (World Association of Newspapers and News Publishers – WAN-Ifra).

Um Currículo admirável, um profissional de destaque e renome internacional, sempre muito disciplinado e preocupado com questões ambientais, para Eduardo Sirotsky Melzer uma empresa deve cumprir um papel social e interferir de forma positiva na construção e desenvolvimento de seu país, tanto talento e notoriedade lhe renderam diversos prêmios e nomeações, entre eles podemos citar:

  • Prêmio Caboré 2006 na categoria Profissional de Veículo
  • Destaque Profissional 2009 da Associação Brasileira de Propaganda (ABP) na categoria Executivo de veículo
  • Prêmio Coletiva.Net 2011 na categoria Gestão de Marketing/Comunicação/Grupo de Comunicação
  • Prêmio Empresário de Comunicação do Ano 2013 da Semana ARP de Comunicação
  • Prêmio Empreendedor do Ano 2015 (Ernst e Young) na categoria Family Business
  • Destaque na lista de líderes do Cambridge Institute for Family Enterprise (CFEG) de 2015
  • Prêmio Mérito em Administração no setor Privado em 2015.
  • Membro do Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar)
  • Membro do Conselho Executivo das Normas-Padrão (CENP)
  • Membro do Conselho da Bienal do Mercosul
  • Membro do Conselho da Fundação Iberê Camargo

Eduardo Sirotsky Melzer em 44 anos é casado, pai de três filhos e adora esportes.

 

 

Empreendedorismo critico durante a crise: oportunidades de mercado incluindo a Indústria Têxtil

A crise que anuncia-se há tempos trouxe, apesar da preocupação e da dor de cabeça aos brasileiros, oportunidades de mercado para os visionários, e os consumidores que, de desempregados passaram a ser empreendedores, e futuramente – segundo as revistas de negócios que apostam em ideias inovadoras, serão os próximos executivos reconhecidos internacionalmente por sua capacidade de inovação em meio a crise.

 

Os pequenos negócios, como por exemplo o surgimento de um restaurante vegetariano gerenciado pela Jeane Moura foi construído em função da necessidade de inovação em contraponto a crise, após ter experiência como vendedora em shopping e sentir falta de restaurantes que atendessem a procura de clientes que buscam uma alimentação semelhante ao movimento Slow Food, decidiu implantar seu negócio à partir desta constatação, sua inciativa empreendedora resultou em um restaurante conceituado, que ela define como um restaurante de DNA Natural, além da surpresa da busca dos seus clientes por esta alimentação no Brasil, Jeane Moura teve apoio internacional, e agora continua em expansão analisando meios de alcançar novos clientes.

 

O empreendedorismo voltado à economia criativa, bem como a alimentação saudável, a preservação do meio ambiente, e a observação dos valores éticos que dizem respeito aos envolvido em uma empresa, é a aposta de investimento positivo indicado pelos economistas, durante a crise, outro fator interessante a se estudar é o empreendedorismo pautado em investimento e iniciativas de economia criativa que veem tendo apoio nas novas tecnologias; as Startups entram como uma ferramenta a favor destes empreendedores, os próximos meios de comunicação avançam e apontam formas inovadoras de conquistar outros mercados de consumidores, no entanto, converter está ação em retorno financeiro para obter-se demais investimentos, depende da real intenção do negócio, pois o impacto social causado pelas empresas veem sendo o divisor de águas para as mesmas.

 

Ou seja, quando o empreendedor abre seu negócio e em um determinado momento busca capital para investir e aumentar seu retorno financeiro, a primeira pergunta que é feita por aquele que apoiará este empreendedor é:

 

Qual será o beneficio e o impacto positivo que este empreendimento resultará na sociedade?

 

Hoje, em meio a crise, existem diversificados tipos de serviços que auxiliam e otimizam a rotina dos consumidores; cuidado com animais, Deliveries , Startups e até mesmo os Brechós, que aumentaram durante a crise, devido ao excesso da produção têxtil, a ausência do consumo e o acumulo de seus resíduos poluidores. Portanto, embora as inovações surjam como iniciativas surreais , estas também manisfestam-se como soluções positivas para a crise. O conserto, o reuso, e o escambo transformaram-se em oportunidades de negócios, agora estas atividades ganham valor por serem sustentáveis em consequência da sua capacidade de atribuir valor ao capital humano.

 

A indústria têxtil por ser usada como termômetro de mercado, tem seu papel preponderante no que diz respeito às inovações de mercado, as pesquisas acadêmicas em torno da moda sustentável apontam a mesma como uma como possibilidade de otimização voltada ao movimento Slow Fashion e sua capacidade empreendedora, destaca-se sua importância devido a história da Indústria Têxtil, bem como sua trajetória, seus avanços tecnológicos, desde o prêt à porter, considerando, principalmente, sua capacidade de formação de distinção social, compreendida como um fenômeno que impacta em todos as outras indústrias.

 

Dicas para equilibrar a vida profissional e pessoal

Uma das grandes dificuldades de empreendedores é harmonizar a vida pessoal e profissional sem sacrificar nenhum dos dois. Quem se dispõe a empreender já sabe que terá uma rotina muito atarefada com reuniões, cuidados administrativos do negócio, viagens a trabalho e além disso o cansaço psicológico das soluções constantes de problemas da empresa. Porém, todo mundo tem um lado particular que também necessita de atenção e cuidados. Dividir-se e organizar o tempo para fazer tudo que é importante pode ser uma tarefa complicada, no entanto é essencial. Com planejamento de uma rotina mais organizada e bem administrada é possível realizar todas as tarefas com competência sem sacrificar a qualidade de vida.

Por esse plano em prática irá implicar em fazer escolhas e ter atitudes importantes que terão resultados positivos na qualidade de vida. Para você não se tornar escravo da sua vida profissional e nem sacrifica-la, confira a seguir importantes dicas para empreender e manter a qualidade de vida.

Dizer não no momento certo:
Avalie as coisas que são importantes para você, se não forem, não tenha medo de dizer não. Seja no ramo profissional ou no lado pessoal, é preciso saber dizer não para manter o equilíbrio entre as coisas importantes. Ninguém é obrigada a participar de eventos que não quer ir, porém cada pedido deve ser analisado minuciosamente e levado em conta se este se classificar como importante. Esta análise também serve para classificar somente o que irá agregar em algo para a sua vida.

Administre seu tempo:
Empreendedores vivem sob uma rotina intensa de trabalho, sendo assim é importante estabelecer horários para manter a atenção no trabalho e dedicar-se também as tarefas da vida pessoal. Para manter esse equilíbrio é necessário administrar bem o tempo e estabelecer um horário para cada coisa. Criar uma agenda auxilia nessa organização de forma que você não perca um compromisso importante e se mantenha atento com o tempo para executar as demais tarefas.

Encarregar atividades:
Algumas das atividades realizadas em uma empresa devem ser feitas apenas pelo empresário, no entanto, existem outras atividades que podem ser encarregadas para que outras pessoas façam. Deve-se escolher pessoas responsáveis e coloca-las para executar essas atividades, dessa forma seu tempo será otimizado para tarefas que necessitem de seu total acompanhamento ajudando-o a manter suas atividades do dia a dia.

Manter o foco:
Distrair-se com outras atividades irá atrapalhar tanto no lado profissional quanto no pessoal. O seu tempo será reduzido ainda mais e a execução de suas tarefas importantes ficarão de lado. O que não falta hoje em dia é distração, sendo as redes sociais a grande pioneira em tirar o foco das pessoas de suas atividades. Isso não é bom para o trabalho, pois é fundamental manter a atenção na empresa para ter uma boa administração. O mesmo serve para as atividades pessoais que precisam de cuidados e requerem muita atenção para não deixar nada de lado. Desligar-se do trabalho quando estiver fora dele também é importante para manter o foco nas atividades pessoais e harmonizar o lado profissional com o pessoal.

Veja mais sobre como manter o equilíbrio profissional e pessoal.

José Borghi, um profissional que une sensibilidade com sucesso

A publicidade é uma atividade profissional das mais brilhantes, à medida que se dedica à difusão pública de ideias para responder a necessidades e solucionar problemas.
É proativa, porque antecipa ou até mesmo cria demandas, dada sua natureza de analisar os resultados obtidos pelos consumidores em produtos e serviços já disponíveis no mercado e apresentar ideias que melhor respondam às expectativas.
A publicidade pensa com o consumidor e o ajuda a tomar decisões.
No mundo da publicidade brasileira, um nome que desponta como de grande influência é sem dúvida José Borghi, criador de campanhas publicitárias inesquecíveis, cujas histórias contadas, personagens e jingles permanecem na memória afetiva da população.
Quem não se lembra das crianças lindas, vestidas de bichinhos de pelúcia a representar mamíferos na peça publicitária da Parmalat? Quem não associa o hit “É o Amor”, da dupla Zezé de Camargo e Luciano, aos produtos do Sazón? São frutos da criatividade do publicitário José Borghi.
Natural de Presidente Prudente e graduado em Publicidade e Propaganda pela PUC Campinas, o sucesso de José Borghi vem de uma trajetória que envolve a passagem por várias agências de publicidade, a exemplo da Standart Ogilvy, da FCB, DM9/DDB, da Talent e da Léo Burnett.
Seu perfil singular de empreendedor se afirma desde quando decidiu por criar sua própria agência, a BorghiErh, para a qual não mediu esforços em transformá-la, junto com seu sócio, num empreendimento de notável sucesso, tendo sido adquirida pela Lowe e, a partir de então, denominada Borghi Lowe, na qual partilhou a presidência com seu sócio Erh Ray.
No seu currículo, José Borghi já desenvolveu campanhas para um elenco de empresas de grande porte, tais como a Delta Airlines, a Editora Globo, a Unilever, a Procter, a Electrolux, o Grupo Bunge, Grupo Folha, a Asia Motors, a Fiat, a Honda, a Antarctica, a America On Line, a Alpargatas, o BankBoston, a American Express, o Itaú, entre outros projetos de sucesso.
Um destaque do publicitário José Borghi diz respeito a sua preocupação com a humanização da publicidade e seu interesse por estudos que construam bases científicas para consolidar tal perspectiva.
Esta visão é bastante promissora para avanços na qualificação e consolidação da publicidade como ação relevante nas sociedades e, consequentemente, para a melhor atuação de seus profissionais, uma vez que parte da valorização da pluralidade dos perfis de consumidores e a dinâmica veloz com que se modificam, tendo estes conhecimentos como base para a elaboração de projetos inovadores.
Com este histórico e esta visão também é natural encontrar em seu currículo um conjunto de premiações, nacionais e internacionais, com destaque para 15 Prêmios Abril de Publicidade, 14 Leões de Cannes, 11 premiações no New York Festival, 10 no The One Show e 10 Clios Awards, além de 7 prêmios no London Festival, como também foi eleito o Publicitário do Ano, pela APP em 2009, pelos Colunistas São Paulo.
São com perfis de publicitários ousados e sensíveis como o deste profissional que se escreve a história da publicidade no século XXI.

A importância do empreendedorismo para as crianças

Empreendedorismo é a palavra do momento. Mas o que isso significa? Empreender é realizar, decidir, pôr em execução e arriscar. Cresce a cada dia o número de novos empreendimentos, pessoas abrindo negócios, investimentos no mercado financeiro, isso porque aumentou o número de pessoas que tem acesso a informação e consequentemente descobriram que ser empreendedor é mais que saber lidar com negócios. Com isso, revela-se a importância de ensinar o empreendedorismo desde a infância, sendo o momento mais propício para aprender coisas novas.

Por que é importante ensinar o empreendedorismo para as crianças?

• Pessoas empreendedoras conseguem melhor destaque nos negócios, sabem solucionar problemas, sabem lidar com frustrações, aproveitam as melhores oportunidades, são mais sociáveis e mais dinâmicas.

• A procura de empresas por jovens com perfil empreendedor aumentou, algo que já era esperado. Pessoas com esse perfil são ótimas para promover o crescimento de uma empresa pois, tomam iniciativas por conta própria, são autodirigidas, constroem boas redes de relacionamento, estão sempre inovando tudo que fazem, sendo assim um perfil de inovação para qualquer empresa.

• Por outro lado, as crianças estão sempre aprendendo e tem uma melhor absorção do conteúdo do que os adultos. Além disso, crianças que conhecem o empreendedorismo desenvolvem mais habilidades que contribui para um aprendizado precoce. Ou seja, quem aprende a ser empreendedor desde cedo, terá um destaque maior no futuro.

• Quanto antes melhor, pois muitos jovens tem o sonho de empreender e no primeiro fracasso desistem porque não sabem lidar com as frustrações. Mas seria diferente se tivessem desenvolvido o empreendedorismo quando eram crianças.

O que as crianças aprendem com o empreendedorismo?

• O contato com o empreendedorismo na infância desenvolve habilidades importantes para o aprendizado da criança. Empreender envolve aplicar e aperfeiçoar a matemática, ter uma boa leitura e compreensão, escrever bem e saber se comunicar tanto em palavras quanto oralmente. Desenvolver essas habilidades tornará a criança mais comunicativa, inteligente e detalhista.

• Saber lidar com frustrações é fundamental para qualquer pessoa. Todo mundo precisa saber que nem tudo é como esperamos, ou nem tudo é assim tão fácil quanto parece. Para as crianças, ouvir um não pode ser doloroso, mas será ainda mais se ela ouvir um não quando for adulta e não souber trabalhar as frustrações. Quem é empreendedor sabe que nada é garantido e que seu esforço pode não ser recompensado, porém essas pessoas sabem encontrar estratégias e soluções para alcançar objetivos. Crianças que aprendem a aceitar uma negação conseguem encontrar soluções para driblar os problemas, tornando-se mais proativas.

• Quando nossas ideias são bem aceitas pelos outros, nos sentimos mais confiantes. Deixar as crianças se sentirem à vontade para expressar suas ideias, faz com que elas se tornem mais criativas, sintam a sensação de ter suas ideias aprovadas e confie mais em suas intuições.

• Um ensinamento importante de pais empreendedores para seus filhos, é não contar com uma renda fixa como a mesada. Empreendedores são pessoas que arriscam e sempre estão correndo atrás, sendo assim, crianças que aprendem a não contar com uma mesada todo mês irão procurar por estratégias para conseguirem o que quer.

Uma educação empreendedora pode ajudar a resolver a crise de desemprego entre os jovens que não tem tanta ou nenhuma experiência no mercado de trabalho. Também poderá fazer girar as economias do país e a melhorar a comunicação entre as pessoas. Formar futuros empresários é fundamental para desenvolver habilidades para lidar com qualquer coisa na vida.