Home Office: Dicas para você ter o seu negócio em casa

Resultado de imagem para Home Office: Dicas para você ter o seu negócio em casa

Montar um negócio Home Office oferece muitas vantagens, como a possibilidade de estar mais próximo da família, a flexibilidade de horários e a redução nos custos com aluguel, transporte e alimentação. Entretanto, também existem algumas desvantagens, sendo preciso ter alguns cuidados para não misturar vida doméstica com horário de trabalho.

Além disso, não é porque você vai trabalhar em casa que o seu negócio pode ser informal. Assim como os outros tipos de negócios, todo trabalho Home Office também precisa ser legalizado.

Por isso, antes de começar o seu escritório em casa, você precisará se organizar para que o seu negócio seja um sucesso.

Verifique se você tem o espaço necessário

Além do espaço necessário para você trabalhar, talvez também seja necessário ter um espaço reservado para receber clientes e fornecedores. Tenha em mente quantas pessoas vão frequentar a sua casa e evite recebê-las nos lugares destinados ao convívio familiar. Se puder, faça com que a entrada para a sua empresa seja separada da entrada da sua residência. Quem mora em apartamento também precisa ficar atento às regras do condomínio para não ter problemas mais tarde.

Crie uma rotina diária de trabalho

Tenha horários de trabalho bem definidos, reservando o tempo necessário para a refeição. Evite atender telefonemas ou abrir e-mails de trabalho fora do horário estipulado e evite realizar atividades pessoais na hora de trabalhar. Organize seu tempo para as suas atividades renderem, para que você não tenha que trabalhar além da conta.

Não aceite mais serviços do que você é capaz de realizar

Quem trabalha em casa precisa se prevenir contra algumas dificuldades que podem surgir. Assim, quando tiver que aceitar serviços, estabeleça prazos que possam ser cumpridos por você. Lembre-se que ninguém está livre de ficar doente. Além disso, alguns serviços que são prestados à você e a sua empresa também podem falhar, como o sinal da internet e a distribuição de energia elétrica.

Acerte a documentação do seu negócio

Se você quer trabalhar por conta própria, deve cuidar para que a documentação adequada esteja em dia. Obtenha as licenças necessárias e pague as taxas devidas no tempo certo. Se você ainda não registrou a sua empresa, saiba que a partir do Portal do Empreendedor é possível fazer com facilidade o cadastro como Microempreendedor Individual.

Existem algumas limitações para quem trabalha a partir de casa, apesar disso, o sucesso do negócio Home Office depende muito da capacidade de organização e comprometimento do trabalhador.

O trabalho Home Office pode ser extremamente prazeroso para muitos, mas, se você é do tipo de pessoa que sente falta da interação com os colegas, talvez esse não seja o trabalho ideal para você. Reflita sobre as suas características e garanta o seu sucesso na vida profissional.

 

Catarina Fashion Outlet da incorporadora JHSF promove evento com a LUG Brasil

 

Image result for Catarina Fashion promove evento com a LUG Brasil

Durante o mês de julho, o Catarina Fashion Outlet, construído pela incorporadora JHSF, irá receber uma exposição chamada Mostra LUG Brasil, a qual é composta por cenários construídos inteiramente com peças de LEGO®, desenvolvidos pela LUG Brasil. Para a exposição, foram elaborados cenários a partir de diferentes temas, como por exemplo, Tecnologia, Cultura Pop e Star Wars.

Em conjunto com a exposição, que é gratuita, também será aberta ao público a oficina “LUG”, na qual crianças e adultos de todas as idades terão a chance de exercitar a sua criatividade com o auxílio de peças de LEGO® e manuais que ajudam na montagem. Aberta entre os dias 8 e 30 de julho, a oficina funcionará todos os dias, das 12h às 18h, e poderá receber grupos de até 12 pessoas. Para participar dessa atividade, as pessoas deverão realizar uma inscrição no próprio local, e a partir de então, o evento irá contatar os inscritos conforme surgir a disponibilidade de vagas no decorrer do mês.

Fundada em 1972 por José Roberto Auriemo e seu irmão Fábio Auriemo em sociedade com mais dois empresários, nesse período, a corporação tinha o nome de JHS e atuava especialmente no segmento da construção. Após duas décadas em atuação no mercado, os dois irmãos tiveram certas divergências na forma como pensavam que a empresa devia ser conduzida e, por por essa razão, a sociedade acabou sendo desfeita. A partir desse momento, a JHS se tornou JHSF e passou a ter o empresário Fábio Auriemo ocupando a posição de presidente.

Com o fim da sociedade, Fábio Auriemo direcionou a empresa para o ramo da incorporação, um mercado que estava crescendo rapidamente no final dos anos 90. Atualmente, é possível constatar que essa decisão estratégica foi de grande importância para os negócios, pois nos dias de hoje, 90% da receita total da empresa tem origem na incorporação. Paralelamente, a JHSF fechou parcerias com corporações terceirizadas da área de construção para dar prosseguimento aos projetos que está envolvida.

Logo que a JHSF se aventurou no ramo da incorporação, o comportamento inicial da empresa foi investir em edifícios comerciais. Com o tempo, já com uma estrutura maior, a incorporadora passou a focar em projetos de construção de shopping centers, tendo participado na cidade de São Paulo dos projetos de criação do Shopping Metrô Santa Cruz e o Shopping Cidade Jardim.

O Shopping Cidade Jardim, por exemplo, que é um dos estabelecidos do Parque Cidade Jardim, foi um projeto especial pois marcou de vez a entrada da empresa no mercado da incorporação de luxo, uma área que cresceu muito há alguns anos e impulsionou a corporação de forma sem precedentes. Além do shopping, o Parque Cidade Jardim também é composto por prédios comerciais, edifícios residenciais, uma sede do hotel de luxo Fasano, restaurantes de alto nível e muito mais, tudo isso em uma imensa área de mais de 80 mil metros quadrados.

Para a construção do Parque Cidade Jardim, a JHSF Participações se inspirou nos grandes complexos que já existiam no exterior, os quais são conhecidos como “empreendimentos multifunções”. O grande idealizador desse projeto foi o filho de Fabio Auriemo, José Auriemo Filho, que atualmente exerce o cargo de presidente da empresa.

Erros comuns entre empreendedores iniciantes

Quando um novo negócio se inicia, o empreendedor fica ansioso, empolgado e com vontade de fazer o empreendimento decolar. Entretanto esse anseio em fazer dar certo pode atrapalhar o empreendedor iniciante e somente a disposição não garante a prosperidade de um negócio.

Justamente por isso, é necessário saber quais são os erros mais comuns, para que o empreendedor faça o contrário e seja bem sucedido.

Segundo a “Pequenas Empresas e Grandes Negócios”, especialistas afirmam que o que derruba a maioria dos novos negócios antes de completar um ano é a falta de planejamento. Não basta só ter o capital para começar, é necessário todo um planejamento financeiro a longo prazo, além de cumprir todas as etapas burocráticas necessárias para que o negócio seja consolidado.

O que auxilia a falta de planejamento nos negócios de maneira efetiva é o desemprego. Ao perder o emprego a pessoa acaba investindo sem pensar muito, não busca estudar melhor o investimento, a estrutura do negócio e não dá atenção a detalhes como o capital de giro.

Outro erro muito comum é não conseguir lidar com prazos, acabando por misturar datas de entrega de encomendas, compras e pagamento de fornecedores e se perde entre tantas datas. Por isso é preciso que a parte operacional do negócio esteja funcionando bem, além de muita organização no dia-a-dia, para não atrapalhar a produção, perder negócios e confundir pagamentos.

A falta de comprometimento parece ser um fato óbvio para que um negócio não dê certo, afinal, é necessário estar comprometido com os serviços que se realiza, mas como muitos empreendedores iniciam um negócio no “embalo” do momento, esquece que é necessário dedicar um tempo para ele funcionar, além de resolver problemas ocasionais. E para construir uma imagem sólida no mercado leva tempo, por isso começar o negócio sem planejamento e tempo, manchará o nome da empresa.

Sabe aquele ditado “Quem acha que sabe tudo, não sabe nada”? Ele pode ser aplicado nos negócios e muitas vezes é o motivo de levar muitos negócios a fechar. Não se pode subestimar o mercado, os concorrentes e principalmente ofertar muito mais do que é possível, ou acreditar que se consegue lidar com determinada demanda e no fim, deixar clientes insatisfeitos, é necessário um estudo de mercado, além de tentar se preparar para imprevistos, prospectar mercado.

E um dos erros mais comuns, que afeta não só os novos empreendedores, mas como todos de uma maneira geral, muitas vezes pela ganância, é tentar vender a qualquer custo e em tempos de crise, como o que o Brasil vem enfrentando, os negociantes trocam qualidade por quantidade, o que deixa o cliente, já acostumado com determinado produto, insatisfeito. Criar falsas promessas ou promoções só para desafogar o estoque não é uma boa ideia, a franqueza com o cliente muitas vezes é o que o fideliza.

 

Dez dicas de João Kepler para estimular o empreendedorismo nas crianças

 

Resultado de imagem para bebe empresario

Sabemos que uma boa educação é essencial para a formação de um bom cidadão, e que educação começa desde os primeiros meses de vida de uma criança. Mas, assim como devem os pais educar para serem os seus filhos futuros cidadãos responsáveis e também pessoas civilizadas, devem eles, da mesma forma, estimulá-los a serem empreendedores.
Dessa forma, João Kepler, que além de autor do livro “Educando Filhos para Empreender”, é também conselheiro da Anjos do Brasil, aquela entidade de fomento ao investimento-anjo, formulou uma lista com 10 dicas de como propiciar essa formação diferenciada nos pequenos desde a mais tenra idade. Afinal, segundo ele, isso também servirá para todos os campos da vida, não só os negócios, já que aqueles que adotam um estilo de vida empreendedor possuem, por consequência, “uma postura diferente diante da vida”.
Primeiro de tudo, ele sugere que a criança “participe de todos os acontecimentos e das decisões da casa, sejam boas ou ruins”, pois isso terminaria por estimulá-las a terem suas próprias opiniões. Além disso, também propiciaria que começassem a enxergar o planejamento das coisas, como ocorre no mundo empresarial.
Em segundo lugar, será necessário ser aberto com as crianças, ou seja, sempre conversar com elas sobre quais são as dificuldades que a família passa, deixá-la ciente dos problemas. Além disso, também estimulará para que ela perceba, ainda que em meio às dificuldades, em meio à crise, as oportunidades de melhorar.
Já em terceiro, está o conselho de que não se deve dar mesadas aos filhos, mais especificamente, “não dar dinheiro ou outras coisas materiais com o fim de compensá-los por algo que fizeram”.
Em quarto, está a dica de não mostrar ao seu filho que há alguma “estabilidade financeira”, no sentido de que, ao não contar com a possibilidade de sua herança ser o bastante para ele, por consequência, não ficará tranquilo e correrá atrás, logo não será um filho acomodado.
Depois disso, como quinta dica, ele sugere que seja mostrado às crianças como, na vida, tudo tem um lado bom e um ruim. Ainda detalha que isso poderá ser feito em relação a diversos temas, como as questões sociais e políticas, assim como o foco nosso, os negócios.
Em sexto lugar, Kepler sugere que sejam mais valorizadas as virtudes e qualidades dos meninos, ensinando-os como poderão se autoavaliar e ainda como podem gerenciar suas próprias limitações.
Já na sétima posição, temos o conselho de que os pais devem procurar sempre estimular seus filhos, citando os exemplos dos grande líderes que, apesar de terem vencido, também fracassaram em algum momento. Assim, ele ficará ciente de que, durante a sua trajetória, será normal que cometa alguns erros, por ser essa jordana de sacrifícios, até chegar-se à glória.
Enquanto isso, em oitavo, a dica é a de que se deve conversar com as crianças sobre negócios e demais assuntos incomuns ao ambiente escolar, seja com artigos, vídeos ou postagens na internet. Nesse conteúdo, é bom conter exemplos de sucesso e também de fracasso, além de histórias que tragam aprendizado e também de curiosidades no geral.
Em penúltimo, na nona posição, o conselheiro da Anjos do Brasil recomenda que os pais sejam verdadeiros “mentores” de seus filhos, e esclarece o conceito que está usando. Segundo ele, o mentor é aquele que não apenas apontará qual é o melhor caminho, mas, por conta de já ter tido várias experiência, também fará perguntas, questionará a criança e proporá desafios. Assim, acabará levando que ela, por conta própria, que estagnar, ou seja, fazer sempre o mesmo, só gerará sempre os mesmos resultados insatisfatórios.
Por fim, ele termina com a décima dica e acrescenta uma outra de bônus. Recomenda que se deve estimular a criança a ter uma preocupação com os outros, a ser “mais humana”, digamos assim. Assim, ao ter mais empatia e intenção de ajudar os demais, o menino ou a menina terão como olhar as coisas por outras perspectivas, de modo a entenderem a dor dos outros e não só as suas. E ainda finaliza com a recomendação de que, certas vezes, os pais deixem a criança sozinha a realizar uma atividade, pois ao não ter a sensação de segurança constante, ela se desenvolverá melhor, amadurecerá de fato.

Conheça mais sobre o Mangabeira Shopping de Roberto Santiago

No final do ano de 2014, o empresário paraibano Roberto Santiago inaugurou um de seus maiores empreendimentos, o Mangabeira Shopping, que em pouco tempo se tornou um dos centros de compras mais populares e visitados de João Pessoa.

Na época da inauguração do shopping, o local possuía uma estimativa de cerca de 350 mil consumidores em potencial, o que demonstrou ser bastante lucrativo para as lojas que se instalaram no Mangabeira Shopping. Em apenas alguns dias após o estabelecimento abrir as portas, algumas redes de varejo registraram um lucro até cinco vezes maior do que havia sido registrado em outros lugares do Brasil, ressaltando o imenso potencial de consumo desse centro de compras.

Com um investimento de cerca de R$ 500 milhões, o Mangabeira Shopping demorou pouco mais de dois anos para ficar pronto, tendo gerado nesse período cerca de três mil empregos de forma direta ou indireta. Quando o local foi inaugurado, Roberto Santiago destacou que apesar de estarem na mesma cidade, o Mangabeira não causaria nenhum tipo de prejuízo ao seu outro estabelecimento, o Manaira Shopping, que é um ponto de referência em compras e serviços na capital da Paraíba desde o ano de 1989.

A ideia para criar o Mangabeira surgiu entre os anos de 2007 e 2009, quando o empresário identificou uma demanda por um outro centro de compras de grande porte em João Pessoa. Quando questionado sobre os seus dois shoppings, Roberto Santiago costuma afirmar que os dois locais são bastante diferentes no que diz respeito ao aspecto urbano e social.

O Manaira Shopping, por exemplo, por ter sido inaugurado ainda na década de 80, serviu como um divisor de águas para o bairro de Manaira, uma área que até então era formada por unidades residenciais e aos poucos se transformou em uma região repleta de edifícios e estabelecimentos comerciais situados ao redor do shopping. Tudo isso contribuiu para que o Manaira seja reconhecido atualmente como o “shopping da cidade”.

Já o Mangabeira Shopping, este foi construído na zona sul de João Pessoa, com o intuito de valorizar essa região, que já apresentava sinais de emergir como uma área socioeconômica lucrativa no ano de 2014. Ao identificar o potencial dessa região, Roberto Santiago decidiu investir na construção de um novo shopping center amplo e moderno, escolha essa que se mostrou bastante acertada, tendo em vista o grande sucesso que o centro comercial apresenta desde que foi inaugurado, contribuindo para um estímulo ainda maior na economia da zona sul da cidade.

Nascido na cidade de João Pessoa, Roberto Santiago concluiu seus estudos no Colégio Marista Pio X, um centro escolar bastante tradicional da capital paraibana, e posteriormente fez o curso de Administração de Empresas no Centro Universitário de João Pessoa (UNIPÊ). Depois de formado, ele começou a sua carreira na empresa Café Santa Rosa, mas depois de alguns anos apostou na criação do seu próprio negócio, uma empresa de cartonagem. Anos mais tarde, o empresário passou para o ramo do loteamento e se encontrou profissionalmente nessa área.

Seja mais produtivo nos seus negócios e faça mais em menos tempo – Dicas que realmente funcionam

Você já pensou em como poderia ser mais produtivo em seu negócio? Imagine o quanto isso seria benéfico para a gestão do seu empreendimento, como para a economia de recursos financeiros, humanos e de tempo. Através desse texto você aprenderá como ser mais produtivo em seu negócio e com isso fazer mais em menos tempo.

Use a tecnologia a seu favor

Use a tecnologia a seu favor e economize tempo, agilize processos e aproxime a sua equipe. Você deverá procurar por softwares e aplicativos que façam exatamente isso, se você precisa se deslocar regularmente para falar com algum fornecedor ou cliente porque não usar o Skype para fazer isso, dessa forma, você economiza um bom tempo, que seria gasto no trânsito, e ainda economiza em combustível.

Cuidado com o E-mail

Não acesse o seu e-mail várias vezes ao dia, reserve horários específicos para fazer isso, por exemplo, o acesse pela manhã, à tarde e à noite. Ao escrever um e-mail, seja claro e simples, busque organizar o conteúdo da mensagem em tópicos.

Planeje o seu dia

Assim como devemos especificar um horário específico para o e-mail, precisamos definir horários específicos para as demais tarefas. Mesmo que você planeje cuidadosamente as suas atividades diárias, esteja preparado para imprevistos, dessa forma, pense nisso ao elaborar o planejamento do seu dia.

 

Faça anotações

Richard Branson, presidente do Virgin Group, diz que sempre carrega consigo um bloco de notas. Dessa forma, quando surgir uma ideia você poderá anotá-la imediatamente e desenvolvê-la em um outro momento, com isso, você produz mais, e se você produzir mais, os resultados aparecerão. Você poderá utilizar um aplicativo para fazer isso, um dos melhores é o Evernote.

Diga não

Para você conseguir realizar todas as atividades diárias, é extremamente importante que você aprenda a dizer “não”.

Você deve dizer “não” para todas as atividades que não colaboram para o sucesso do seu negócio. Pense nisso antes de dizer “sim”.

Reuniões mais produtiva

Limite os assuntos que serão abordados durante a reunião, defina os tópicos que serão discutidos e mantenha o foco neles.

Cuidado com as redes sociais

Da mesma forma como você precisa administrar o uso do e-mail, o mesmo deve acontecer com as redes sociais. Defina um horário específico para as redes sociais e não ocupe muito do seu tempo com elas.

Esse texto teve o objetivo de ajudá-lo a ser mais produtivo nos seus negócios. Aplique as dicas apresentadas nesse texto e faça mais em menos tempo.

 

 

 

Dicas que podem ajudar a tornar uma ideia em um negócio

Quando uma ideia inovadora demonstra chances de se obter um bom lucro parece que é necessário um grande investimento para colocá-la em ação, no entanto, nem todas as ideias precisam ter altos recursos para serem colocadas em prática. Existem muitas empresas que começaram com o mínimo e precisando economizar, mas que tiveram potencial de se estabilizar na área em que atuam e assim se transformar em um negócio rentável.

Uma opção de começar uma empresa com um custo reduzido é através de uma startup, para isso é necessário identificar uma necessidade em algum mercado e assim suprir a demanda com uma solução eficiente que facilite a vida do consumidor. Uma empresa que obtém êxito precisa trazer uma melhoria na qualidade de vida do cliente.

Encontrar a solução de um problema e disponibilizá-la em forma de serviço ou produto é uma maneira de iniciar uma startup com poucos recursos, a eficácia da solução irá determinar o grau de importância para os clientes. O lucro é indispensável e virá como uma consequência do bom trabalho que é prestado.

A simplicidade de uma ideia pode garantir que uma empresa se destaque, não é necessário uma ideia mirabolante para ter um negócio. O mais importante é gerar interesse por parte dos consumidores e assim será possível prosseguir com um negócio de qualidade.

Fazer um planejamento de um produto ou serviço envolve conhecer o comportamento dos clientes quando precisam de alguma solução, o quanto estão dispostos a pagar e qual é o impacto que o serviço ou o produto têm na vida do cliente. Entender o perfil dos consumidores ajudará a personalizar e tornar mais ideal um produto ou serviço de modo que satisfaça a demanda que os incomodam.

Uma ideia simples precisa de um plano de negócios simples. Um plano de negócios complexo precisará de um esforço e tempo relativamente extenso, é possível elaborar um plano de negócios mais simples com o modelo Canvas, com ele pode-se atender todas áreas da empresa e fazer alterações dependendo da experiência e da comunicação com o público. Esse modelo pode ser usado como um mapa para trazer uma melhor e uma visão mais simples de como se guiar com um negócio.

Analisar o concorrente é um fator que pode ajudar na tomada de decisão quando uma empresa precisa aplicar uma estratégia para se sobressair. Verificar quais os pontos positivos, onde o concorrente errou e onde acertou, traz uma visão mais experiente e ampla do negócio que será empreendido. Aprender com os bons e com os maus exemplos é um ponto crucial que uma empresa não pode ignorar principalmente porque a concorrência sempre estará presente, desse modo, será menos difícil definir uma estratégia que faça a empresa se destacar das demais.

 

 

Empresas que começaram do zero são exemplos de sucesso internacional

Image result for jessica Butcher
Co-fundadora do aplicativo Blippar, Jessica Butcher

Começar uma empresa ou buscar ideias para criar uma se tornou mais fácil com as informações disponíveis na internet. Existem empresas que começaram de uma forma muito discreta mas que hoje não puderam permanecer no mesmo espaço que ocupavam e se expandiram de uma forma ampla de alcance global.

Entre os exemplos que podem ser citados estão as empresas Shazam, que trabalha com identificação de músicas, com o Skyscanner que é um buscador de passagens aéreas, hotéis e locadoras de veículos, e com Airbnb, site de aluguel de quartos e casas que pode ser realizado de qualquer parte do mundo para qualquer destino. Apesar do sucesso alcançado existe uma série de fatores que contribuem para o crescimento de um pequeno negócio em uma empresa de grande escala.

Três profissionais bem sucedidos compartilharam as suas trajetórias com a BBC, as suas experiências e o modo como conduziram o empreendimento que realizaram pode servir de exemplo do que fazer para e do que não fazer para transformar uma startup em uma empresa de alcance internacional.

O aplicativo Blippar tem como co-fundadora Jessica Butcher, e é utilizado para “blipar” um objeto ou vários com a câmera do celular, e assim mais informações são trazidas para a tela sobre os objetos. A ideia desse aplicativo teve seu início em uma conversa de bar há seis anos. O valor que a empresa tem hoje é de mais 1 bilhão de dólares.

A co-fundadora explicou à BBC que em sua experiência ela teve que abrir mão do controle absoluto do negócio para conseguir crescer, em uma afirmação ela diz: “Eu gosto do ambiente caótico das startups, pode falar com todo mundo da equipe, compartilhar ideias, mas quando o negócio cresce, os desafios mudam. O fundador não participa de todas as decisões e tem que aprender a delegar funções.”

A empresa de livros Kobo quando iniciou suas atividades com uma startup, via seus funcionários dormirem na mesa de trabalho. Criada na década de 90, a Kobo foi uma das primeiras livrarias canadenses virtuais. De acordo com Michael Tamblyn que comanda a empresa é mais fácil manter a paixão na equipe quando se tem 10 funcionários, mas o desafio é manter a mesma paixão nos colaboradores quando se tem 300 funcionários.

Reunir talentos com diferentes habilidades é importante para Tamblyn, que diz: “Você não quer uma monocultura, versões de você mesmo trabalhando ao seu redor. Você quer pessoas que vão te puxar, impulsionar e te desafiar”.

A empresa Hassle montada por Alex Depledge precisou passar por aprendizados importantes. A atividade da Hassle consiste em disponibilizar empregados para limpeza. A empresa funciona de maneira online e decolou para o cenário internacional, segundo Depledge é preciso enxergar falhas mesmo que o sucesso esteja acontecendo.