Volkswagen anuncia parceria com a Nvidia para criar carro autônomo

A montadora alemã de veículos Volkswagen revelou durante a feira de tecnologia CES que se unirá a empresa Nvidia, empresa de tecnologia, para desenvolver veículos autônomos. O evento que ocorreu em Las Vegas, localizada nos Estados Unidos, trouxe novas perspectivas para o futuro dos carros da Volkswagen.

Atualmente, a empresa de tecnologia já possui parcerias com grandes nomes empresariais, como a Tesla, a Uber e a empresa chinesa Baidu. Todas essas parcerias trabalham juntas para a criação de novos dispositivos de computação gráfica e novas tecnologias para o setor automotivo como um todo.

A parceria com a Nvidia permitirá que a Volkswagen desenvolva novas abordagens tecnológicas considerando a inteligência artificial como o futuro dos veículos da montadora alemã. Dentre esses veículos que farão parte do futuro está a van chamada de I.D. Buzz, que tem previsão para início da produção em 2022 e substituirá a Kombi.

Segundo a montadora alemã, a van contará com um assistente virtual que fará o reconhecimento facial do motorista para destrancar a porta do veículo. Além disso, o veículo aprenderá os hábitos de seus ocupantes para antecipar as necessidades de cada um deles.

Atualmente, a indústria automotiva só fala em direção autônoma e em veículos elétricos. Um exemplo disso é o veículo apresentado pela Toyota no Salão de Tóquio que ocorreu em 2017. O veículo desenvolvido pela Toyota é capaz de conversar com o motorista, trazendo um conceito autônomo para além da condução do veículo. Além da Toyota, o evento ainda prestigiou a moto que abraça o piloto desenvolvida pela Yamaha.

A Nvidia informou que até o dia da feira de tecnologia 320 empresas envolvidas com o setor de veículos autônomos usavam o sistema Nvidia Drive. A Uber, por exemplo, usa a tecnologia desenvolvida pela Nvidia desde o ano de 2016, quando passou a incluir os carros autônomos nas frotas da empresa. Com o sistema Nvidia Drive, a Uber revelou que os veículos já percorreram um total de 1 milhão de milhas dentro de 100 dias.

A empresa de tecnologia ainda irá colaborar com a Aurora, uma startup que atua no mesmo segmento. Juntas as duas empresas deverão desenvolver uma nova plataforma de hardware para a direção de veículos através do processador chamado de Xavier.

Com as notícias recentes de aquecimento do mercado nacional – ainda que modesto – todo empreendedor acaba criando expectativas sobre os próximos passos da economia. Pensando assim, muitos estão se preparando para assimilar a melhoria nos negócios, o que requer algo mais que apenas esperar pelos bons ventos das finanças: é preciso atentar-se aos novos tempos e estar aberto para novos aprendizados. Para não ficar de fora das novidades do mercado, que tal conferir algumas atualizações para lidar com a maré alta dos negócios?

Modernização trabalhista

Com a nova legislação das relações de trabalho, é importante atualizar-se para garantir a melhor equipe para seu negócio e o correto tratamento profissional para seus funcionários. Afinal, conhecer e dominar o universo de seleção e contratação também é tarefa importante para o empreendedor que quer estar em dia

 

Comunicação eficiente

Em tempos de comunicação sem fronteiras e imediata, a visibilidade de sua marca precisa estar bem afinada para captar os usuários da grande rede virtual de comunicação. Para isso, a credibilidade de sua empresa deve se associar à melhor apresentação não só visual, mas também verbal para atrair novos clientes e interagir com eles eficientemente a ponto de torná-los cativos à marca. A comunicação eficiente deve ser ponto estratégico para novos negócios.

 

Preocupação ambiental

A consciência ambiental tem aumentado na população em geral. Então, como não seguir essa tendência? Já que empresas ecologicamente responsáveis têm sido bem avaliadas por potenciais clientes, é importante ficar de olho para que sua empresa esteja alinhada às melhores práticas para o meio ambiente, atendendo, inclusive, à legislação ambiental e às recomendações de órgãos competentes para essa área.

 

Atualização sobre o mercado

Se o mercado está se aquecendo, embora aos poucos, é fundamental compreender as novas necessidades e entender esse momento econômico. Para se atualizar sobre os novos comportamentos e as oportunidades que se mostram, não se pode deixar de lado uma competente pesquisa de mercado, direcionada não apenas à compreensão do público-alvo, como também à concorrência atual.

Empreendedor atento é empreendedor atualizado. Abrem-se as oportunidades a todos, e destacam-se aqueles que melhor se preparam.

 

 

Dentista abandona profissão para investir em empresa de marmiteira fashion

A ideia do empresário surgiu em decorrência de novos hábitos dos brasileiros: deixar de fazer as refeições em restaurantes e lanchonetes, passando a arrumar a comida em casa para levar ao trabalho. Arthur Amorim deixou a sua carreira de dentista para investir em uma empresa de marmiteiras fashion.

O investimento inicial foi de R$30 mil para abrir a Barbell Brasil, empresa que é especializada em produção mochilas e bolsas multifuncionais, as quais possuem bolsos e compartimentos isolados, removíveis e térmicos.

O que inspirou Arthur foi a rotina de sua esposa, que para seguir a dieta nutricional, mantinha as refeições envoltas por sacos plásticos dentro da bolsa. Foi a falta de estilo e praticidade que o motivou a criar a Barbell Brasil.

O carioca analisou o mercado e reparou que apenas uma empresa situada no norte americano vendia produtos com esse fim no nosso país, sendo assim, os preços ficavam altamente desproporcionais em relação ao custo-benefício. Aqui veio a grande sacada: era possível fabricar um produto nacional de qualidade equivalente, por um valor muito mais baixo.

O mercado fitness está em crescimento, mas a análise do empreendedor responsável pela ideia diferenciada das marmiteiras denota uma opinião singular: os fabricantes voltados para esse nicho ainda não estão ligados às necessidades dos consumidores, oferecendo sempre os mesmos produtos, sem inovar.

Segundo Arthur, a parte mais difícil de mudar de ramo foi compreender como anda a “roda-gigante” dos empreendimentos comerciais. A dificuldade em demonstrar seus produtos e a qualidade deles através da internet — contando sempre a confiança quase “cega” de seus clientes — também foi um empecilho para o carioca, que está tirando de letra, pois o sucesso da marca está garantindo, segundo o empreendedor, sorrisos dos dois lados da tela do computador.

Não bastou que o empresário oferecesse para o seu público apenas um produto bom e de qualidade, ele e sua equipe precisavam de mais para garantir sucesso. A inovação foi a chave para garantir a prosperidade do seu negócio. E você? Sabe o que falta para garantir o bom andamento do seu negócio? Confira quais são as 5 regras para alcançar o sucesso!

 

Imigrantes são responsáveis por grandes empresas nos EUA

Um dos principais receios de quem saiu de seu país para tentar a vida em outro é a deportação. São várias as causas que podem causar uma imigração, tanto dificuldades econômicas quanto civis. O fato é quem tenta chegar em outro país quer construir uma vida por causa das oportunidades que podem existir no novo lugar.

De acordo com a conhecida revista Fortune 500, são várias as companhias nos Estados Unidos que são originadas de imigrantes ou então descendentes. As multinacionais IBM e Google, são empresas de alcance gigantesco que têm fundadores de origem estrangeira, quando não são da primeira, em geral são da segunda geração.

Muitos empregos são gerados no mundo todo por causa de negócios que obtiveram sucesso por empreendedores de origem estrangeira nos EUA. Alguns dados estão sendo divulgados para combater as tentativas de conter os movimentos imigratórios comandada pelo presidente Donald Trump.

Nos EUA o programa Dreamers que tem como objetivo impedir a importação de 800 mil imigrantes que estão em uma situação ilegal no país, trabalha com pessoas que quando crianças foram levadas para o país sem um respaldo legal.

Estatísticas comprovam que imigrantes têm uma atitude empreendedora maior que os residentes dos EUA. Existem mais probabilidades de pessoas que se mudam para outro país assumirem o risco de começar um novo negócio.

Quando alguém chega como imigrante em um país existe a necessidade de ser criativo e de ter uma postura mais tolerante à adversidade. As influências de amigos para conseguir trabalho para uma pessoa que chega como imigrante é muito baixa, o que propicia uma maior busca e conquista por trabalho, como a maioria das pessoas fazem.

Observando com uma percepção mais humanitária, os danos que se farão nas famílias de imigrantes terão um impacto significativo na vida dessas pessoas. Os resultados na economia também não podem ser ignorados, pois as pessoas que serão retiradas do país poderão começar um empreendimento que futuramente se tornará um sucesso em outros lugares.

De acordo com uma pesquisa realizada a maioria dos 216 empreendimentos que se destacaram na revista Fortune 500, estão em diferentes áreas como a alta tecnologia e o varejo.

 

Saiba mais detalhes sobre o desenvolvimento profissional de José Auriemo Neto

José Auriemo Neto chegou a posição máxima de liderança da incorporadora JHSF antes dos 30 anos, se tornando um dos executivos mais jovens em um cargo de tamanha importância nesse mercado no país. Mas antes de chegar ao cargo de presidente da empresa, Zeco, como é informalmente conhecido, já trilhava uma longa trajetória pela empresa, onde ele começou a trabalhar com somente 17 anos.

Descrito como precoce desde criança, José Auriemo Neto acumulou experiências ricas e diversificadas ao longo de sua juventude, que foram importantes para o seu amadurecimento e desenvolvimento pessoal. Como exemplo disso, ele chegou a morar por meses na Noruega para jogar em um torneio de futebol amador, e ainda se mudou para a Bélgica com a intenção de praticar Hipismo com o reconhecido Nelson Pessoa Filho.

Aos 17 anos, José Auriemo Neto decidiu cursar Engenharia na Faculdade de Engenharia de São Paulo, enquanto também iniciava sua trajetória na JHSF, trabalhando algumas horas ao dia na área responsável por administrar os estacionamentos. Já próximo ao fim da faculdade, Zeco tomou a decisão de trancar o curso e se dedicar de maneira integral a incorporadora da família, ajudando o seu pai, Fábio Auriemo, na liderança dos negócios.

Anos antes, a JHSF modificou seu posicionamento de mercado e passou a investir na área da incorporação, especialmente em edifícios comerciais para locação. Com o tempo, a empresa cada vez mais experiente passou a se envolver em projetos de incorporação de shopping centers em várias cidades pelo Brasil. O sucesso foi tamanho que a incorporadora se expandiu inclusive para o exterior, liderando o projeto de construção do condomínio Las Piedras, situado em Punta Del Este, no Uruguai.

Após substituir o pai e se tornar o presidente da empresa, José Auriemo Neto vislumbrou o futuro da companhia no ramo da incorporação de alta renda, identificando nesse mercado a chance da incorporadora de se tornar uma das maiores do país na área. Essa estratégia fez com que a JHSF optasse por investir na construção do Parque Cidade Jardim, um empreendimento moderno e de luxo, localizado na Marginal Pinheiros.

Na época, muitos analistas se posicionaram de modo contrário a esse projeto, mas José Auriemo Neto persistiu na ideia e trabalhou incansavelmente na construção do Parque Cidade Jardim. Concluído em 2006, esse complexo rapidamente se tornou um sucesso comercial, proporcionando grandes lucros a empresa. Dentro dele, se encontram um imenso e luxuoso shopping center, edifícios residenciais, prédios comerciais, restaurantes e um prédio que funciona como sede de um hotel da rede Fasano.

Ao mesmo tempo em que crescia profissionalmente com a JHSF, o executivo também se tornou igualmente bem-sucedido na esfera pessoal, formando uma bela família com Mariana Landmann Auriemo, a mãe dos filhos do empresário. Em detrimento dos diversos compromissos diários, Zeco não abre mão de estar sempre com a família nas horas vagas, sendo sempre ativo na rotina dos filhos. Já nos dias de folga, o executivo gosta de se manter ativo, com destaque para a prática do golfe, esporte que ele começou a praticar depois de adulto.

 

Prazo para regularização do MEI é prorrogado para 60 dias pelo CGSIM

Foi divulgado no dia 6 de dezembro de 2017 pelo “CGSIM”“Comitê para Gestão da Rede Nacional para Simplificação do Registro da Legalização de Empresas e Negócios”, um novo prazo para que as empresas cadastradas como MEI – Microempreendedor Individual, possam se regularizar. O novo prazo foi concedido para os microempreendedores com CNPJ – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica, suspenso por irregularidades.

Com o novo prazo, os MEIs que tiverem o CNPJ suspenso por atraso no pagamento de tributos deverão comparecer a Receita Federal do Brasil até o dia 23 de janeiro de 2018, sendo este o novo prazo definido. Caso o microempreendedor perca o prazo para a regularização, o CNPJ será cancelado definitivamente.

No Portal do Empreendedor é possível conferir a lista completa com todos os CNPJs que foram suspenso pela Receita Federal. Além disso, o microempreendedor que tiver dúvidas sobre a sua regulamentação poderá fazer a busca no site através do número do CNPJ ou do CPF – Cadastro Pessoa Física.

Anteriormente ao novo prazo publicado, os MEIs que possuíam alguma irregularidade deveriam se apresentar na Receita Federal em até 30 dias após a primeira publicação do prazo para que o CNPJ não fosse cancelado definitivamente. Essa situação irregular, segundo a Receita Federal, condiz com os anos de 2015, 2016 e 2017. Dentro desse período, a Receita Federal informou que os microempreendedores que deixaram de pagar o DAS ou ainda que não entregaram nenhuma DASN-SIMEI – Declaração Anual, estão enquadrados como MEIs irregulares.

O CGSIM informou que o microempreendedor classificado como irregular poderá realizar o parcelamento dos débitos em até no máximo 60 meses. Contudo, ele deverá apresentar no mínimo um pagamento pendente ou entregar as declarações atrasadas para que o cancelamento não ocorra até o dia 23 de janeiro de 2018.

Caso o CNPJ seja cancelado, o CGSIM revelou que a baixa não poderá ser revertida por nenhum órgão. Além disso, os débitos pendentes dos CNPJs que foram cancelados, serão revertidos automaticamente para o CPF que estiver vinculado. Sendo assim, o nome do usuário poderá constar como inadimplente.

Caso o microempreendedor tenha seu CNPJ cancelado pela Receita Federal, ele ainda poderá exercer a sua atividade econômica dentro da formalização do MEI através de um novo CNPJ.

 

Siemens e o Ministério Público Estadual de São Paulo estão avaliando um acordo

A empresa multinacional Siemens e o MPE (Ministério Público Estadual) do estado de São Paulo, estão retomando com as negociações para tentar chegar a um acordo, visando encerrar as ações que estão em andamento contra a companhia na alçada civil, envolvendo investigações sobre o possível cartel formado no caso dos trens, em São Paulo.

Os valores do acordo podem chegar a mais de R$ 1 bilhão, sendo referentes às ações abertas contra a companhia e que foram originadas nas averiguações, que buscam descobrir a existência de crimes que ocorreram na época das licitações tanto do Metrô, quanto da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). Mas esse acordo está gerando opiniões diferentes entre os promotores.

Os advogados da companhia encontraram os promotores do Patrimônio Público paulista e também Gianpaolo Smanio, procurador-geral de Justiça. As particularidades ainda não foram acertadas pelos dois lados, mas a Siemens além de pagar uma multa, vai precisar assumir que se envolveu em práticas ilegais. A conclusão é referente somente às ações em relação  ao cartel dos trens paulistas,  nos casos das licitações. As averiguações mostraram que as companhias envolvidas com o esquema superfaturaram os valores cobrados das obras, e também dos trens.

Embora o acordo esteja em fase adiantada, ele está gerando divergências nas opiniões dos promotores, já que uma parte da Promotoria não concorda com a persistência que a Siemens apresenta, em revelar quais são os servidores públicos e os políticos, que estariam implicados em todo esse esquema de corrupção nessas licitações.

Algumas declarações de fontes do MPE disseram que uma resolução está perto de ser acertada, mas nem todos os promotores que atuam nessas ações contra a companhia, estão de acordo com as condições que estão sendo discutidas.

A Siemens já havia tentado um acordo no ano passado, quando a empresa alemã procurou a promotoria do Patrimônio Público, através de um escritório de advocacia e declarou que iria ajudar com as averiguações. Mas os acordos pararam porque a Siemens não quer se declarar culpada, e não quer apontar os políticos e servidores públicos envolvidos.

No momento as discussões estão sendo acompanhadas por outros integrantes do MP, que não fizeram parte do grupo que participou das negociações em 2016. No MPE transita uma ação contra a empresa alemã que pede R$ 1 bilhão, além de solicitar a extinção das empresas que participaram desse cartel.

Olympikus volta para a liderança do mercado, sem liquidações dos seus produtos

Neste ano a empresa de calçados Olympikus voltou a liderar o mercado, tirando esse posto da sua concorrente Nike, aqui no Brasil. A Olympikus desde 2011 estava em segunda posição, e conseguiu chegar ao topo das vendas sem realizar nenhuma liquidação dos seus produtos.

Essa situação toda ocorreu depois que a sua empresa reguladora,  a Vulcabras Azaleia,  depois de três anos de renovação, agilizou a fabricação e passou a fazer parte do

Novo Mercado BM&FBovespa. Depois de passar por uma reestruturação, ela consegue fornecer o seu produto em até 45 dias, sem provisão sobressalente para os estabelecimentos.

Segundo Pedro Bartelle, CEO da empresa, o diferencial competitivo da marca é a agilidade na entrega. As lojas precisam apenas repor os tamanhos e as cores dos modelos, em seu estoque.

Os grandes eventos que aconteceram no país, a Copa do Mundo e depois os Jogos Olímpicos, afetaram a marca de maneira negativa. Os tênis da Olympikus que são vendidos em média por R$ 200, ficaram para trás depois que diversas marcas internacionais entraram no país, procurando se beneficiar ao máximo com esses grandes eventos. Mas no momento, quando o foco desses eventos esportivos está em outros países, as importações feitas pela Adidas e pela Nike estão mais caras, o acaba diminuindo o favoritismo delas no mercado nacional.

A empresa reguladora da Olympikus não consegue ter preços competitivos no exterior, porque os salários pagos na Ásia são um terço dos salários pagos aqui no país. Mas a rapidez na entrega e os custos mais reduzidos em relação às negociações feitas aqui no Brasil, que possui impostos altos, acaba estimulando as vendas da Olympikus.

O CEO da empresa, que é ex-piloto de corridas, falou que a Olympikus está pronta para crescer ainda mais, principalmente depois de apresentar um aumento significativo dos seus lucros no terceiro trimestre desse ano. A empresa ainda pode conquistar um aumento nos negócios realizados no continente latino-americano, já que a Vulcabras está com boas expectativas para a volta de uma popular marca de calçados femininos, com valores acessíveis e solado bem prático, com o conforto de um tênis.

Segundo Bartelle, estão sendo lançadas anualmente oito coleções no Brasil, seguindo o ritmo acelerado do mercado brasileiro, demonstrando que a Azaleia foi totalmente renovada e ficou ainda mais atual.