Taxa de desemprego cai para 11,8% com elevação da população ocupada

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelou no dia 30 de agosto de 2019 os dados sobre o desemprego no país para o encerramento do trimestre no mês de julho. De acordo com os dados levantados pelo instituto, o desemprego atingiu a média de 11,8% no encerramento do trimestre encerrado no mês de julho deste ano.

Segundo os analistas do IBGE, esse resultado apresenta uma queda para o indicador de 0,6 ponto percentual, quando comparado com os dados anteriores que eram de 12,5%. Já na comparação anual, o trimestre apresentou recuo de 0,5 ponto percentual neste ano, quando comparado com o mesmo período de 2018 onde foi observado uma taxa de desemprego de 12,3%.

Em relação ao número de pessoas desempregadas, o IBGE destacou que o Brasil tinha até o mês de julho, 12,6 milhões de pessoas em situação de desemprego. Esse número mostra uma queda considerável de 4,6% no total, o que significa que 609 mil pessoas saíram do desemprego no trimestre terminado em julho, quando comparado com o trimestre anterior. Na comparação com o ano passado, os dados recentes mostram pouca diferença entre os resultados: em 2018 eram 12,8 milhões de pessoas desempregadas, contra 12,6 milhões neste ano.

O levantamento realizado pelo IBGE faz parte da “Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios”, também chamada de Pnad Contínua. Para realização do levantamento, o IBGE considera dados da economia ao longo dos trimestres tradicionais, e períodos móveis.

Os dados ainda destacaram que a população ocupada do país apresentou crescimento tanto na comparação com o trimestre anterior quanto na comparação anual. Neste último trimestre, a população ocupada do país chegou a 93,6 milhões, com a adição de mais de 1,219 milhão de pessoas na comparação com o trimestre anterior (crescimento de 1,3%). Já os dados da comparação anual mostraram a adição de mais de 2,218 milhões de pessoas na população ocupada (crescimento de 2,4%).

“O número elevado de pessoas que entraram para a população ocupada assim como o número menor de pessoas desocupadas, fizeram com que a taxa de desemprego recuasse nesse último trimestre”, informou Cimar Azeredo, que é gerente da pesquisa do IBGE.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *